Vinhedo propõe consórcio público com Jundiaí, Louveira e Valinhos para resolver problemas no abastecimento de água

Dúvidas sobre o Rodízio? Respondemos as perguntas mais frequentes da população. Acompanhe!
Crianças da entidade AFETO participam de ação socioeducativa da Sanebavi


Proposta do prefeito Dr. Dario é que seja construída uma adutora para captação do excedente de água em Jundiaí

Reunião técnica com representantes das autarquias e departamentos de Água e Esgoto dos municípios de Jundiaí, Louveira e Valinhos realizada em Vinhedo na terça-feira (19), a convite do prefeito do Dario Pacheco, discutiu a criação de um consórcio intermunicipal e sistema de adutora para trazer água do Rio Atibaia em Jundiaí para os quatro municípios, ampliando a captação, reservação e oferta de água para a população.
A ideia já vem sendo discutida entre o superintendente da Sanebavi (Saneamento Básico de Vinhedo), Jaderson Spina e o presidente do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Jundiaí, Walter da Costa e Silva Filho e, nesta semana, contou também com a participação do secretário de Água e Esgoto de Louveira, Matheus Arantes e o presidente do DAEV (Departamento de Água e Esgoto de Valinhos), Ivair Nunes Pereira, além do secretário de Governo de Vinhedo, Jorge Torrezin e os técnicos Gabriel Carvalho e Mario Tabata.
Segundo Dr. Dario o consórcio pode resolver o problema de abastecimento de água não só de Vinhedo, mas também de Louveira e Valinhos. “Jundiaí tem uma estrutura para captar 2 mil litros por segundo de água bruta do Rio Atibaia, mas utiliza apenas 1.200l/s, ficando com uma ociosidade de 800 l/s, que pode ser dividida entre Vinhedo e os demais municípios”, explica dr. Dario. “É mais uma alternativa entre dezenas de outras em andamento que estamos buscando para alcançarmos a sustentabilidade hídrica da nossa cidade”, completa.
Conforme explicou Spina, Jundiaí faz a captação do Rio Atibaia por meio de uma adutora numa extensão de 12 km, que joga água no afluente do rio Jundiaí Mirim, principal manancial de abastecimento da cidade vizinha. De lá ela segue para a represa do município. Já o Rio Capivari, nosso principal rio de abastecimento, nasce dentro da Fazenda Nossa Senhora da Conceição em Jundiaí e percorre curso paralelo ao Rio Jundiaí Mirim, tendo uma distância entre eles de apenas 4 km.
A intenção é captar a água da represa de Jundiaí e jogar no Rio Capivari. Para isso, será necessária a construção de uma adutora neste trecho para que essa água siga seu curso natural, chegando à captação de Louveira, prosseguindo até Vinhedo e, depois, finalmente para Valinhos. Da captação do Rio Atibaia em Jundiaí até a cidade de Valinhos, a água vai percorrer um trecho de aproximadamente 50 km, porém será necessária a implantação de apenas 5 km de adutora. No restante do percurso a água seguirá pela calha do rio e sistemas já existentes.
“O desafio agora é conseguir do DAEE a outorga do Rio Atibaia para a extração dos 800 litros por segundo para atender cada uma das cidades com 200 l/s, beneficiando os quatro municípios. Por isso, precisamos de um consórcio entre as quatro cidades para execução dessa obra de implantação da infraestrutura de adução de água da represa de Jundiaí até o Rio Capivari, estimada em R$ 15 milhões”, destacou o superintende da Sanebavi.
Uma nova reunião será marcada no próximo mês para apresentação dos projetos e contará com a presença dos prefeitos.