Superintendente da Sanebavi acompanha reta final dos trabalhos nas estações de tratamento de lodo

Jardim São Thomé pode ficar sem água neste domingo
15 de março de 2018
Manutenção na rede elétrica pode prejudicar o abastecimento de água para a Capela nesta quinta-feira, 27
15 de março de 2018

O superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica, acompanhou nesta quarta-feira, dia 12, o andamento dos trabalhos de construção das duas estações de tratamento de lodo de Vinhedo, que acontecem na Estação de Tratamento de Água da Vila Planalto, a ETA 1, e na Estação de Tratamento de Água do Jardim Santa Cândida, a ETA 2.

 

Com a estrutura física dos prédios concluída, os trabalhos de interligação das  tubulações entre a estação de tratamento de lodo e a estação de tratamento de água, estão quase finalizados. Após essa etapa, serão feitas as ligações elétricas para colocar em funcionamento as estações. 

 

Nas duas unidades também já foram instaladas as bombas da elevatória, as centrifugas e os trilhos que vão auxiliar na manutenção dos equipamentos.

 

“A construção dessas estações reflete a preocupação da Sanebavi com a preservação do meio ambiente. Nós vamos dar a destinação correta para o lodo que sobra após o processo de tratamento da água, garantindo mais qualidade de vida para a população de Vinhedo”, afirma o Superintendente da Sanebavi Odair Seraphim, o Canjica.

 

Esse lodo residual tem todas as impurezas que antes estavam na água. E por isso, precisa de um tratamento e uma destinação adequada.  Ao passar pela centrifuga o lodo será desidratado. 

 

“Parte da água eliminada do lodo nesse processo volta para a entrada da ETA para tratamento, minimizando o desperdício de água captada.  Já o lodo desidratado será encaminhado para aterro sanitário adequado ou poderá ser utilizado em cerâmicas na fabricação de tijolos”, explica o prefeito de Vinhedo, Milton Serafim.

 

Na estação de tratamento da Vila Planalto vão funcionar duas centrifugas com capacidade para desidratar 14.000 litros por hora de lodo. Já a estação de tratamento Santa Cândida terá uma centrifuga com capacidade para desidratar 10.000 litros de lodo por hora.

 

A previsão é que os trabalhos sejam finalizados até o final de julho.

 

Tamanho da fonte
Contraste