Superintendente acompanha substituição em trecho de rede de água na ETA II Santa Cândida

Extensão de rede de água no Parque Iolanda
15 de março de 2018
Sanebavi investe em frota para garantir mais agilidade nos serviços prestados
15 de março de 2018
 
Na última terça-feira, dia 31, o superintendente da Sanebavi (Saneamento Básico Vinhedo) Odair Seraphim (Canjica) acompanhou a obra de substituição de trecho de tubulação de água bruta na Estação de Tratamento de Água II Santa Cândida que se estendeu ao longo da semana.
De acordo com o superintendente, Canjica, essa obra é necessária para o início da implantação da nova Estação de Tratamento de Lodo, que será construída no local. “Vamos cancelar a rede antiga e implantar essa nova rede que tem 120 metros de tubulação, em tubos de 250 mm em PVC. Após o término desta adequação poderemos dar início à construção da ETL II, que tratará o lodo gerado no tratamento da água”, disse Canjica.
A rede é responsável por encaminhar a água bruta que entra na estação ao tratamento. Na próxima semana, os funcionários executarão as interligações desta rede, e após a finalização desses serviços, a obra da ETL poderá ser iniciada.
 
Estação de Tratamento de Lodo I e II
 
As Estações de Tratamento de Lodo (ETL’s) I e II serão responsáveis por tratar o lodo gerado no processo de tratamento de água, para que seja disposto de maneira adequada, contribuindo para a preservação dos recursos hídricos. A ETL I está em construção nas dependências do setor de obras e manutenção, ao lado da Estação de Tratamento de Água I Planalto. A ETL II será construída no interior da ETA II Santa Cândida.
Segundo o superintendente da Sanebavi Canjica as ETL’s serão construídas e finalizadas simultaneamente. As obras na ETL I se iniciaram em janeiro e ainda neste mês iniciarão a ETL II. “São obras extremamente importantes para o município, vamos contribuir ainda mais com a preservação do meio ambiente”, explica Canjica.
Os produtos gerados no final do processo do tratamento do lodo serão: a água, que será reutilizada para tratamento (minimizando o desperdício de água captada), outra parte dessa água será acumulada em um reservatório e poderá ser utilizada para lavagem de pátios, das unidades das ETA’s, além, de caminhões pipa para ser usada em jardins. Também o lodo desidratado, que poderá ser utilizado em cerâmicas na fabricação de tijolos.
O investimento das obras é o valor não reembolsável destinado pelo Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO), de R$ 2. 215.440,62 mais a contrapartida da Sanebavi no valor de R$ 949.474,55.
 
Tamanho da fonte
Contraste