Sem chuvas, água deve ser utilizada apenas para as necessidades básicas

Terceira estação de tratamento de água continua em construção no São Joaquim
15 de março de 2018
Implantação rede adutora de água na Estrada da Capela
15 de março de 2018

Sem o volume de chuvas esperado para esta época do ano para recuperar o nível das represas e mananciais que abastecem Vinhedo, o uso racional da água pela população é fundamental para evitar um colapso no sistema de abastecimento do município.

 

Para atender a demanda de consumo, as estações de tratamento de Vinhedo na Vila Planalto (ETA 1) e no Jardim  Santa Cândida (ETA 2) estão trabalhando na capacidade máxima e tratando 910 m³/h de água. O abastecimento é complementado pela produção de água dos dez poços profundos da cidade.

 

“Infelizmente as chuvas registradas nos últimos dias não foram suficientes para recuperar as represas que estão com os níveis abaixo do normal. E para continuar tratando essa mesma quantidade de água, está sendo necessário utilizar as reservas de água que Vinhedo mantém nas represas, comprometendo o nível de água bruta. Por isso, é fundamental que todos entendam o momento crítico que todo o Estado de São Paulo está enfrentando por falta de chuvas e utilizem a água de forma racional, sem desperdício”, afirma o prefeito Milton Serafim. 

 

Nesta semana, o nível da represa I chegou a 1,7 metro, o nível mais baixo já registrado desde a construção da represa na década de 70. Até então, o nível mais baixo havia sido registrado em 2008 quando atingiu a marca de 2,3 metros. 

 

Para equalizar o sistema de distribuição e não deixar nenhum bairro sem água, a Sanebavi (Saneamento Básico Vinhedo) vem desde o ano passado acompanhando em tempo real o nível de cada um dos 36 reservatórios do município e realizando manobras técnicas para garantir o abastecimento para todas as regiões. Quando necessário, interrupções em períodos curtos são realizadas em alguns bairros, por causa da demanda de consumo.  

 

A Sanebavi também está fiscalizando o uso irracional da água no município. Em casos pontuais de desperdício de água, quando denunciados pela população ou flagrados pela autarquia, um fiscal é enviado ao endereço para orientar o morador sobre a necessidade do uso racional da água. Casos reincidentes ficarão sujeitos à aplicação de multa.

 

Denúncias sobre o desperdício de água podem ser feitas no SAC da Sanebavi pelo telefone 3876-9880.

 

Uso Racional

 

Nesse período, a orientação é para que todos continuem utilizando a água apenas para as necessidades básicas (higiene pessoal, preparo de comida, lavagem de roupas e utensílios). 

 

A água não deve ser utilizada para lavagem de carros, calçadas, quintais e piscinas. Tais atitudes só contribuem para o desperdício, agravando a situação. 

 

Ações simples, adotadas no dia a dia contribuem para o uso racional da água:

 

– Mantenha a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba. A economia pode chegar a 80 litros.

 

– Tome banhos rápidos de até cinco minutos

 

– Não utilize a descarga sem necessidade. São consumidos de seis a dez litros de água quando a descarga é acionada por 6 segundos.

 

– Só ligue a máquina de lavar louça ou roupa quando for usar toda a capacidade dela

 

– Feche a torneira enquanto esfrega a roupa no tanque

 

– Hidrômetro girando sem consumo de água é indício de vazamento

 

– Para limpar piscina, a água deve ser filtrada e não drenada

 

– Reutilize a água sempre que possível

 

 

Tamanho da fonte
Contraste