Na estiagem, Sanebavi recomenda uso racional de água para evitar problemas no abastecimento

Prefeito e Superintendente da Sanebavi acompanham trabalhos de interligação da rede adutora da ETA 1
15 de março de 2018
Desassoreamento da Represa I é concluído
15 de março de 2018

Usar racionalmente a água. Esta é a recomendação que a Sanebavi (Saneamento Básico Vinhedo) faz à população de Vinhedo neste período de estiagem para evitar problemas com a falta de água para o município.

 

Sem chuvas, o nível dos mananciais da região fica com o fluxo baixo, dificultando a captação de água bruta para tratamento, enquanto que o consumo aumenta em decorrência do uso desnecessário para a lavagem de carros, piscinas, calçadas e quintais. Se não houver colaboração algumas regiões podem ficar sem água neste fim de semana.

 

“Nesse período crítico a água deve ser utilizada para as necessidades básicas como o banho, preparo de comida e lavagem de utensílios. Se cada um fizer a sua parte e utilizar a água com consciência nós conseguiremos passar por esse período sem comprometer o fornecimento de água para a população”, afirma o prefeito Milton Serafim.

 

Mesmo com a captação de água acontecendo dentro do volume permitido para os meses de estiagem (entre junho e outubro), de até 935 m³/h de água em todo o sistema, o alto consumo da cidade já compromete as represas que foram prejudicadas por um ano marcado por pouca chuva.

 

Em 2013 a quantidade de chuva acumulada em Vinhedo, 1.107 mm, está abaixo da média histórica para a cidade, de 1.280 mm, segundo acompanhamento do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Esse fator compromete a recuperação das fontes hídricas e das represas que tem a função de reservar água na época de chuva para os períodos críticos.

 

Para reverter essa situação e permitir um crescimento sustentável de Vinhedo algumas ações já estão sendo tomadas pela Sanebavi. Nesta semana o Superintendente da autarquia esteve em Brasília na companhia do prefeito Milton Serafim para acompanhar o andamento dos projetos apresentados ao Ministério das Cidades, e já aprovados tecnicamente, para a liberação de recursos do Governo Federal para serem investidos em saneamento básico no município.

 

“O projeto voltado para o abastecimento de água prevê a ampliação da estação de tratamento de água do Jardim Santa Cândida (ETA 2) e a expansão da rede de distribuição para o Distrito Industrial. Com a ampliação teremos condições de aumentar a capacidade de tratamento para 300 m³/h, beneficiando a região da Capela.”,  afirma  o Superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica.

 

Além da construção da ETA 3, no São Joaquim, que vai reforçar o abastecimento de água para o município, está nos planos da autarquia a construção de um reservatório com capacidade para dois milhões de litros na estrada da Boiada para armazenar a água produzida na ETA 1. Estudos geológicos também foram solicitados para possível perfuração de poços artesianos para atender a região da Capela. 

 

 

 

Tamanho da fonte
Contraste