Alunos de Campinas visitam as estações de tratamento de água e esgoto de Vinhedo

Sanebavi prossegue com as obras de construção da ETA 3
15 de março de 2018
Superintendente da Sanebavi acompanha fase final de testes na estação de tratamento de lodo da ETA 2
15 de março de 2018

A estação de tratamento de esgoto Capivari e a estação de tratamento de água da Vila Planalto, a ETA 1, se transformaram em sala de aula para um grupo de 42 alunos da quarta série do ensino fundamental do colégio Educap, de Campinas, nesta terça-feira, 22.

 

Por mais de duas horas, as crianças assistiram a uma palestra educativa sobre a importância da preservação dos recursos hídricos e da destinação correta do lixo doméstico e do óleo de cozinha e conheceram na ETE Capivari todas as etapas do processo de tratamento, desde a chegada do esgoto à estação até a devolução da água no rio Capivari após o processo de tratamento. 

 

Na ETA 1, os alunos participaram de uma atividade de tratamento da água bruta em água potável e observaram todas as etapas do tratamento para deixar a água dentro dos padrões de qualidade para o consumo humano antes do envio para os reservatórios do município.

 

“Essa visita foi importante para facilitar a compreensão do conteúdo discutido anteriormente em sala de aula pelos professores. Quando eles tem a oportunidade de ver de perto  o funcionamento de uma estação de tratamento de água ou esgoto todos querem participar e isso é muito positivo para o aprendizado deles“, afirma a coordenadora pedagógica do colégio Educap, Tânia Mara de Camargo.

 

Desde 2009 a Sanebavi abre as portas de suas unidades para que as escolas tragam seus alunos para visitas técnicas, contribuindo para o aprendizado da disciplina e reforçando a importância da preservação ambiental. 

 

As visitas acontecem nas dependências da ETE Capivari e da estação de tratamento de água da Vila Planalto, a ETA 1. 

 

O ‘Projeto Escola’ desenvolvido pela autarquia recebe todos os anos visitas de alunos das escolas de Vinhedo e de outras cidades da região como Campinas e Paulínia. Nesse período, mais de 3 mil alunos já participaram do projeto.

 

“Abrindo as portas da Sanebavi nós conseguimos atingir um público que se tornará multiplicador da informação ao comentar o assunto dentro de casa. Com isso, nós conseguimos despertar a consciência ambiental  em toda a família”, afirma o Superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica.

 

 

Tamanho da fonte
Contraste