Sanebavi reúne vereadores e explica critérios para o reajuste da conta

Paredes do segundo tanque da ETE Capivari são concretadas
15 de março de 2018
Mananciais
15 de março de 2018

Com a presença de nove, dos 15 vereadores de Vinhedo, a Superintendência da Saneamento Básico Vinhedo (Sanebavi) demonstrou nesta segunda-feira, 11, durante reunião com os parlamentares, os critérios utilizados pela autarquia para o reajuste de 7,42% na conta de água e esgoto.

 

Logo no início do encontro foi esclarecido aos vereadores que desde 2009, a Sanebavi aplica uma metodologia própria para a elaboração da tarifa, que apura as necessidades da autarquia para prestar com eficiência os serviços relacionados à água e esgoto, e não o índice da inflação como muitos pensavam.

 

Em cerca de duas horas toda a composição dos custos da autarquia, que envolve, por exemplo, gastos com funcionários, energia elétrica, inadimplência, manutenção de equipamentos e depreciação dos bens, foi detalhada aos parlamentares.

 

Também foi demonstrado a previsão das despesas de manutenção, as necessidades de investimentos e os custos diretos e indiretos no tratamento e distribuição de água e para a coleta e tratamento de esgoto.

 

Outro ponto abordado durante a reunião foi a adequação da região da Capela ao sistema de coleta de esgoto.  O artigo 47 da Lei 2826/05, determina que o preço público da coleta e tratamento de esgoto deve corresponder a 80% do valor do preço público do fornecimento de água, ou seja, o mesmo percentual cobrado dos demais bairros de Vinhedo.

 

“Com essa reunião conseguimos demonstrar aos vereadores a necessidade do reajuste para garantir a prestação dos serviços essências de tratamento de água e esgoto à população com equilíbrio econômico-financeiro, além de permitir novos investimentos em prol do município de Vinhedo”, afirma o Superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica.
 

 

Tamanho da fonte
Contraste