Investimentos da Sanebavi proporcionam mais qualidade de vida para Vinhedo

Prefeito e Superintendente da Sanebavi acompanham trabalhos de interligação da rede adutora da ETA 1
15 de março de 2018
Desassoreamento da Represa I é concluído
15 de março de 2018

A substituição da rede adutora em cimento amianto com mais de 30 anos de uso por tubos de ferro fundido de 400 mm entre a ETA 1, na Vila Planalto, até os reservatórios da estrada da Boiada, em uma extensão de 1.860 metros, é o exemplo mais recente dos investimentos que a Sanebavi (Saneamento Básico Vinhedo) vem realizando nos últimos anos para proporcionar o desenvolvimento do município.

 

A esse investimento somam-se outros, como a ampliação da estação de tratamento de esgoto Capivari, a construção da estação elevatória de esgoto no Marambaia que vai beneficiar toda a região em torno do condomínio, a ETA 3, em construção no São Joaquim que terá capacidade para tratar 720m³/h de água, a implantação de macromedidores e sensores de nível que permitem acompanhamento em tempo real do nível de cada reservatório 24 horas por dia, a instalação de mais de 46 km de novas tubulações entre expansão e troca de rede, a troca de 13 mil hidrômetros com mais de cinco anos de uso aferidos pelo Inmetro e a instalação de válvulas redutoras de pressão em pontos estratégicos do município para evitar sobrecarga e rompimento da rede. 

 

“Desde 2009, nós temos a preocupação de garantir o abastecimento de água com qualidade para a população e, por isso, sempre investimos em equipamentos e tecnologia para controlar as perdas físicas de água, combatendo as ações de fraudes e vazamentos não visíveis. Como resultado, nós conseguimos reduzir o índice de perdas aferido pelo Sistema Nacional de Informação para o Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades, que estava em 47% em 2005, para cerca de 30% em 2012. E para mantermos esse nível de atendimento nós não podemos parar e já estamos planejando novos investimentos em saneamento básico com a apresentação de dois projetos ao Ministério das Cidades que vão permitir um crescimento sustentável de Vinhedo e com qualidade de vida para a população”, afirma o Superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica.

 

Já aprovados tecnicamente, os projetos estão divididos em duas modalidades, abastecimento de água e esgotamento sanitário. Juntos, somam recursos de 26 milhões de reais. 

 

O projeto de esgotamento sanitário que vai beneficiar diversos bairros do município, vai também atender uma exigência da CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) que vem cobrando das empresas instaladas no Distrito Industrial o tratamento do esgoto. 

 

“Nós vamos expandir a rede coletora de esgoto em uma extensão de 19 km, construir 6 estações elevatórias e emissários de esgoto para o Distrito Industrial, Altos do Morumbi, Santa Claudina, Buracão e São Joaquim. Essas obras vão beneficiar cerca de 15 mil pessoas que vivem ou trabalham nesses bairros”, afirma o prefeito Milton Serafim.

 

O outro projeto apresentado ao Ministério das Cidades está voltado para o abastecimento de água com a ampliação da estação de tratamento de água do Jardim Santa Cândida e da expansão da rede de distribuição para o Distrito Industrial. Com a ampliação da ETA 2 vai ser possível aumentar a capacidade de tratamento para 300 m³/h, beneficiando a região que cresce a cada ano.

 

Aprovados tecnicamente também estão dois projetos apresentados ao Governo do Estado de São Paulo para liberação de recursos do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) para a implantação da operação caça vazamento em toda a cidade e a substituição da rede de água de cimento amianto para tubos de PVC e de ferro em uma extensão de 6.174 metros na Nova Vinhedo.

 

Também estão nos projetos da Sanebavi a construção de um reservatório na estrada da Boiada com estrutura metálica com capacidade para dois milhões de litros, a realização de estudos geológicos para perfuração de poços artesianos para abastecer a região da Capela e a implantação de uma rede de distribuição de água na estrada da Capela a partir da Casa Verde até a Capela, com o fornecimento de água pela ETA 3, em construção no São Joaquim. 

 

Investimentos que vão proporcionar a prestação de um serviço de qualidade à população mesmo nos períodos críticos, nos meses de estiagem, quando a captação de água bruta é prejudicada pelo nível baixo dos mananciais.  

 

 

 

Tamanho da fonte
Contraste