Estação elevatória no Marambaia recebe equipamentos e continua sendo concretada

Sanebavi prossegue com as obras de construção da ETA 3
15 de março de 2018
Superintendente da Sanebavi acompanha fase final de testes na estação de tratamento de lodo da ETA 2
15 de março de 2018

Os trabalhos de construção da estação elevatória de esgoto na rua Igaratá, dentro do condomínio Marambaia não param e mais uma etapa de concretagem das paredes foi realizada pela Sanebavi (Saneamento Básico Vinhedo).

Foram utilizados 18 m³ de concreto para preencher a segunda camada das paredes da estação que ocupará uma área de 97 m².

Nos próximos dias, os operários já iniciam a preparação das ferragens para continuar levantando a penúltima camada das paredes da estação que terá sete metros de altura.

Ao mesmo tempo, a casa do gerador também está sendo construída.

“Com essa estação elevatória, nós vamos beneficiar não somente as pessoas que vivem dentro do condomínio, mas todos os moradores que vivem em torno do Marambaia, proporcionando mais qualidade de vida para todos”, afirma o prefeito Milton Serafim.

Desde o inicio das obras, o terreno foi rebaixado em 7,8 metros em uma extensão de 20 metros da área e, o solo, depois de ser estabilizado com cerca de 30 toneladas de rachão, foi aterrado em três metros e recebeu uma camada de cimento conhecida como lastro. As paredes do poço da estação que possui oito metros de altura já estão prontas.

Na última semana também foram instalados as duas bombas no poço da estação.

Depois de pronta, a estação terá capacidade de bombeamento de 280,8 m³/h de esgoto. Todo o esgoto que chegar a estação vai passar por um gradeamento mecanizado para retenção de sólidos grosseiros e em seguida por uma caixa de areia, antes de ser direcionado para tratamento na ETE Capivari.

“Em breve, nós também vamos realizar a interligação da rede coletora de 200 mm entre o condomínio Marambaia e a estação de tratamento de esgoto Capivari que está em fase final de ampliação. Esse serviço vai ser realizado em uma extensão de 100 metros sob a via Anhanguera, pelo método não destrutível”, explica o Superintendente da Sanebavi, Odair Seraphim, o Canjica.

 

 

Tamanho da fonte
Contraste